Vida com História

Sangue de rã na escarola

Natureza

Comentários (0) / 13 de novembro de 2019

A natureza entrega todo o seu valor, independente das situações. A autenticidade prevalece acima de qualquer coisa e, atendendo a princípios que passam longe da mesquinharia, do levar vantagem, ter razão, prejudicar o outro, ela oferece o melhor de si sem esperar nada em troca. Em perfeita harmonia, mesmo as circunstâncias bizarras e agressivas, seguem um único propósito, a sobrevivência.

Como seres humanos, vindos da natureza, deveríamos nos guiar pelos mesmos princípios ao invés de nós sugarmos. O exemplo do quanto temos dificuldade em construir com o outro, aparece nas mesas de mediação, onde casais disputam cada centímetro do que um dia foi um relacionamento. Alimentados pelo alto grau de raiva, eles chegam parecendo predadores um do outro; com todas as vias de acesso ao dialogo, entupidas, cegos e surtos para qualquer outra ideia que não seja a sua.

Recebi, essa semana, em uma das instituições onde presto serviço voluntário, um casal jovem que usava o silêncio como arma apontada para o futuro ex-cônjuge.  Respostas, sim, não, se revezavam nas questões tratadas dentro do contexto, sem que eles, sequer se olhassem.

Decidiram racionalmente o divórcio e, enquanto eu digitava o acordo, começamos a conversar. Pedi desculpas pelas condições de trabalho daquele dia, em função da mudança recente para o novo endereço. A moça contou que já estava acostumada com isso. Na empresa de higienização de verduras, onde ela trabalhava, coisas estranhas aconteciam e mudavam a rotina, o tempo todo:

– Certa vez, uma rã veio junto com um pé de escarola e virou picadinho – comentou a moça.

O rapaz reagiu com uma expressão de espanto e perguntou:

– Nossa, e o que eles fizeram com a escarola?

– Jogaram tudo fora e pararam a produção para desinfetar os tanques – respondeu a moça.

Em seguida, o rapaz abriu o celular e mostrou a foto de nuvens refletidas no capô de um carro vermelho.

– Esse carro virou celebridade em uma novela! Eu poli, várias vezes no mesmo no dia, para não perder nenhum pontinho do efeito espelho – disse o rapaz.

– Você não me contou! Qual novela? Perguntou a moça.

Não pareciam as mesmas pessoas que chegaram para se separar. Assinaram o acordo entre eles e, no final de um encontro, estavam conversando. Nada como uma rã no lugar certo.

Compartilhe essa história com quem você gosta...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email
Share on LinkedIn
Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *