Vida com História

Pula corda

Momento

Comentários (2) / 9 de outubro de 2016

Sou do tempo que criança brincava de queimada, amarelinha. Era um treino social e físico reunir os vizinhos para uma partida. Olho no olho, a gente se desafiava e ficava horas entretido. No final, todos eram campeões, independente do placar. A vontade de estar junto ditava as regras. Não tinha frescura de uniforme, tenis especial. O improviso resolvia a jeito de identificar os times, por exemplo, os descalços e os outros. As raladas a gente percebia quando já estavam quase melhorando. Brincar era sagrado e a melhor tecnologia da época se chamava criatividade. Caixa de papelão, por exemplo, podia ser tantas coisas que eu não consigo enumerar aqui. Vassouras, lençol e um pouco de pregador se transformavam em palácios, no meio do quintal. Ir ao cinema, na sessão tutti-fruit era um programão; se esbaldar em volta de uma panela de brigadeiro, também.

Eu gosto de lembrar do dia da criança – que para mim durou até os quinze anos – e a expectativa de ganhar um balanço e uma corda enorme para turma toda. A gente pulava em equipe e suava de alegria. Outra ocasião, comemoramos o dia da criança com o picnic das bonecas, na sala de casa… sei lá, ninguém ficava de fora, preguiça era coisa rara. Estávamos em ação o tempo todo, inteiros na brincadeira. O dia da criança para nós era, na verdade, apenas mais um dia para celebrar a infância.

Compartilhe essa história com quem você gosta...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email
Share on LinkedIn
Linkedin

2 Responses to :
Pula corda

  1. Tauana evangelista Santos disse:

    Criança pulando corda e diversão 😊🙃

    1. Lais Barros disse:

      Olá Tauna,
      Eu concordo com você!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *