Vida com História

Flor de baunilha

Momento

Comentários (2) / 2 de dezembro de 2017

Caminhar foi a solução para aliviar o apetite extravagante que tomava conta do meu estômago e manter as gordurinhas atrevidas longe de mim.

É muito agradável andar pelas ruas do meu bairro; tem sempre uma novidade à espreita; as vezes um cachorrinho novo, uma árvore com flor, a conversa com o guarda que atualiza todos as fofocas do quarteirão.

Isso sem falar no paisagismo. Incrível a combinação de plantas que enfeita o muro das casas.

As modernas abusam das folhagens verdes. As casas de vovó, eu identifico pelas flores; quanto mais flores, de preferência, roseiras, maior a idade da vovó.

No meu bairro, encontro casas que nunca trocaram sequer a cor. Seguiram, por anos, com os mesmos tons sóbrios da época em que eram consideradas modernas.

Fachadas exibindo a frente da casa, por inteiro, estão fora de moda. A maioria se esconde atrás de um muro bem alto. Tem casa antiga disfarçada com muro moderno e vice-versa.

Os muros mantém, do lado de fora o desconhecido e dão ao morador a falsa segurança de que só entra quem ele permitir.

Na privacidade de um jardim, cercado por muros, as pessoas vivem a sua rotina doméstica; se permitem ficar de pijama e com remela nos olhos.

Um corredor de muros, frios e altivos, me incentivava a seguir em frente.

A rua vazia, quieta, daquela manhã, dava a impressão de que a vizinhança tinha sido abduzida.

Depois de vários muros pálidos, encontro um muro ganhando uma camada de tinta que parecia um veludo escuro esticado sobre o concreto. O pintor acabava de passar a última mão. Eu, sem encontrar nenhum ser vivo há meia hora, parei, em frente ao muro, e perguntei:

– Bom dia! Que cor é essa, por favor?  Marrom escuro?
– Eu não sei. Se a senhora esperar um pouquinho eu vejo na lata de tinta – ele respondeu.

O pintor atravessou a pequena porta aberta no muro e, logo estava de volta.

– Senhora, a cor não é marrom escuro, não. A cor é marrom flor de baunilha! Devia era chamar outro nome, sabe?! Se a senhora visse o que tem atrás desse muro! Ele disse. 

Curiosa, insisti para saber um pouco mais do que esconderia um enorme muro marrom flor de baunilha.

– O que é? Eu perguntei.

– Um caminho para os caramujos! A senhora não acredita! Todo dia eu encontro um escalando para esse lado. A cor do muro deveria ser: marrom caminho dos caramujos, ele disse.

Ri muito com a informação e, claro, todas as vezes que passo em frente ao muro, procuro um caramujo.

Compartilhe essa história com quem você gosta...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email
Share on LinkedIn
Linkedin

2 Responses to :
Flor de baunilha

  1. Eliane disse:

    Fiquei intrigada… O que havia por detrás do muro?

    1. Lais Barros disse:

      Olá Eliane,
      Eu espero que atrás do muro tenha um lindo jardim, repleto de flores de baunilha…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *