Vida com História

Arte Brasileira em boa companhia

Momento

Comentário (1) / 29 de setembro de 2021

Eu adoro quando saiu de casa, com o destino marcado no waze e, no meio do caminho, por algum problema de conexão, ganho de presente uma surpresa. Hoje, aconteceu assim e eu tive o privilégio de encontrar uma pessoa engajada com o propósito de levar o valor da arte popular brasileira à sério.

Um espaço de arte acolhedor, em um endereço da Vila Madalena, foi o destino que a falta de conexão apontou para mim. Mais do que isso, eu pretendia voltar a um endereço, não muito longe dali, para conferir uma obra de pintura, na parede lateral de uma loja indiana e no lugar dessa parede encontrei uma referência de cuidado e respeito com os mestres artesões do nosso Brasil.

A arte popular brasileira, como propósito

O espaço Annesse traz no seu DNA o valor da história. A história de artistas que provocam, com a sua obra, a alma, os sentidos e fazem um convite para um novo lugar. Que delícia ver a arte do Pernambuco, de Maceio, Bahia, entre tantos outros estados, apresentada com a curadoria e o olhar de quem acredita no valor humano. Uma oportunidade de sentir um calor gostoso no coração apreciando a arte que traz dignidade e reconhecimento para artistas e suas comunidades. Compartilho a história de um desses artistas que eu recebi da Denise, do espaço Annesse.

Um pouco da história do artista Luiz Benício, do Vale do Catimbau – Pernambuco

Formigas do artista Luiz Benicio

No ensolarado vale onde o sertão pernambucano encontra com o agreste e onde estão situados os sitio arqueológico, grutas e pinturas rupestres do Parque Nacional do Catimbau é que o artista Luiz Benício encontra inspiração.

Neste cenário, aparentemente escasso, é que troncos e pedaços disformes de madeira morta “se insinuam” ao mestre artesão. Autodidata, seu trabalho é marcado pela rusticidade e por traços fortes e expressivos que espelham a aridez rochosa do entorno e da vida. Artista premiado, tem suas obras em mais de 34 países.

O valor de um mestre artesão

Arte brasileira de Pernambuco

No ateliê simples, em um sítio que se transformou em uma verdadeira galeria a céus aberto, Benício trabalha à sombra de um pé de caju, ao lado de sua esposa Simone, que também iniciou sua produção artística há 12 anos, como aprendiz do marido.

Uma mulher de braços fortes que, com alguns golpes de facão, cria peças extraordinárias. Eles trabalham apenas com reaproveitamento, coletando sua matéria prima de árvores mortas como: umburana e jaqueira.

Compartilhe essa história com quem você gosta...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email
Share on LinkedIn
Linkedin

One Response to :
Arte Brasileira em boa companhia

  1. denise spada disse:

    Amamos fazer parte desse espaço tão especial e acolhedor! Você nos mostra que estamos no caminho certo de que o mundo e as pessoas não seriam nada sem suas histórias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *