Vida com História

A vontade como poder divino

Momento

Comentários (0) / 2 de agosto de 2021

“Onde há uma vontade há um caminho”

Assistindo uma palestra sobre autoconhecimento, em tempos modernos, me deparei com algumas ideias que revisaram a minha opinião e atitude diante dos desafios. Uma delas foi justamente a vontade. Sempre considerei a vontade como um agente morno, nas escolhas e incentivos para seguir em frente. Eu acreditava muito mais na persistência como valor para ir mais longe. 

Pois bem, mudei de ideia. Entendi que a persistência, sem vontade, não leva a lugar nenhum. Aliás, antes de qualquer coisa, é preciso um ideal. Esse sim, vai mover você. E sabe com a ajuda de quem? Da vontade. Isso mesmo, a definição que eu recebi de vontade, nessa palestra, me encantou: A Vontade é um agente que se sobrepõem às circunstâncias. 

O ideal acena para você, lá na frente, com a medalha de ouro, prata ou bronze

Entretanto, para alcançar esse ideal podem acontecer situações desafiadoras, desde a falta de apoio, até revezes que colocam à prova a certeza de que é aquilo mesmo o que você quer. Eu chamo de revezes, atrasos, interrupções, coisas que dão errado, gente que põe o pé na sua frente. Por outro lado, há situações em que você não dispõe de recursos para se preparar para uma competição, por exemplo, e nem por isso desiste. Esse é o papel da vontade.

A vontade coloca você em condições para transformar o seu esforço, persistência e dedicação em ouro. Repare quantas vezes circunstâncias adversas e inesperados pareciam querer  arrancar de você a perseverança e a constância. Esses dois só se mantém se a vontade estiver firme.

“Todo homem deveria ter um super herói de estimação para lembrar o quão grande ele pode ser”. Platão 

Clarice Lispector tem uma frase incrível para essa afirmação: Aquilo que eu desconheço é a minha melhor parte. 

Um herói coloca a potência e a capacidade de realizar, acima da própria vontade, e faz história. Bom, para ser um herói, antes de mais nada, é preciso que ele esteja alinhado com a sua missão. Como resultado, convicto do que quer, esse herói vê a vaidade, o orgulho, o medo na perspectiva das mesquinharias humanas que roubam força, ao invés de fornecer combustível. 

Ser herói é colocar a vontade na frente e acreditar no lugar onde se quer chegar. É empenhar o seu melhor trocando o medo e a dúvida por entusiasmo.

“A condição mais limitante que existe é o homem duvidar de si mesmo”

Não existe vontade que sobreviva à dúvida do nosso potencial, da nossa capacidade, do nosso fôlego. Só um ideal de verdade consegue despertar o herói e arrancar os aplausos da vitória do lugar mais sagrado, na maior homenagem e reconhecimento de todas: de dentro de nós.

Compartilhe essa história com quem você gosta...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email
Share on LinkedIn
Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *